Em um estudo com crianças da terceira série, convidadas a indicarem seus cinco principais relacionamentos, elas incluíram seus cachorros com tanta frequência quanto seus pais.

Ficou evidente que, quando estavam doentes ou assustadas, consideravam mais confortadora a presença de seus animais do que a de seus melhores amigos.

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR OS VIDEOS!